3.7.16

[Resenha] Clér

Autor (a): Pablo Madeira
Editora: Angels Publishing
Ano: 2015
Lido em: junho de 2016
Nº de Páginas: 158
Onde Comprar: Angels Publishing
Livro recebido em parceria com o autor

 A decisão de sair da casa dos seus pais e ir morar com a sua tia em outra cidade foi necessária para Rodrigo. O jovem não suportava mais conviver com os problemas alcoólicos de seu pai e ser feliz era algo que não podia mais ser adiado. Se assumir homossexual não era uma das escolhas mais fáceis, já que seu pai sempre dizia que jamais teria um filho gay. Além das novas amizades e do primeiro emprego, Rodrigo irá sentir pela primeira vez o tão falado “amor à primeira vista” ao conhecer o jovem Clér. Mas nem tudo é o que parece e Rodrigo vai aprender que o preconceito pode existir em qualquer lugar e que, por esse motivo, às vezes precisamos guardar alguns segredos.

 CLÉR começa com Rodrigo tomando a triste decisão, e porque não covarde, de sair da casa dos pais e morar na casa de uma tia em outra cidade.
 O pai dele deixa claro o posicionamento de não aceitar ter um filho gay e sempre que possível ignora a existência do Rodrigo. Quando recebeu a notícia da decisão do guri de se mudar foi o primeiro a apoiar sua saída. Mas o problema de tudo é que o cara quando bebe desconta na mulher. Rodrigo não quis abandonar a mãe a mercê desse homem imundo, mas não viu outra alternativa já que sua mãe é submissa e sofre todas as agressões calada.
 Imenso Lar é onde a tia do Rodrigo, Margarete, mora. A cidade é pequena, assim como sua população. Isso me deixou bastante apreensivo, pois não iria escolher mudar para uma cidade pequena onde as fofocas correm a solta como se fosse telejornal.
 Rodrigo não têm amigos, mas isso muda quando chega a Imenso Lar.
 Possuindo uma mentalidade sonhadora, quer um dia se apaixonar mas não esperava topar tão cedo com o amor naquela pequena cidade.
 Ele conhece Clérison, o Clér.
 Se a vida dele já estava de cabeça pra baixo pelo motivo da mudança e a procura de emprego, imaginem agora tendo que disfarçar o sentimento de gostar de um guri que é hétero... Ou nem tanto assim.
 A escrita do Pablo é simples e leve. Não é difícil se apegar a alguns personagens e odiar outros. Senti certa rapidez no desenrolar dos acontecimentos. Isso me deixou frustrado pois concluía a leitura de um capítulo e quando checava a lombada percebia a aproximação do fim já que o livro é pequeno possuindo apenas 158 páginas.
 Rodrigo é um personagem bastante sonhador e recluso. Ter se assumido gay foi um ato libertador para si, mas ao mesmo tempo negativo já que me parece que a todo momento ele espera sofrer preconceito de qualquer pessoa. Isso fica em evidência num diálogo entre ele e a tia Margarete: 
 A ingenuidade de Rodrigo incomoda em alguns momentos, mas a sabedoria que ele compartilha em certas ocasiões dá um toque especial ao enredo.
 Logo quando vi Clér pela primeira vez foi impossível não o shippar com o Rodrigo. haushsau
 Clér é lindo. Eu mesmo fiquei embascado com sua descrição física. Ele é misterioso e me fez ficar surpreso com certas atitudes que não esperava. Isso é algo extremamente real e comum, qualquer pessoa irá se decepcionar com alguém um dia.
 Uma cena que senti escassez de detalhes, o que acabou passando como algo passageiro, foi a perda da virgindade do Rodrigo. Desculpem pelo tremendo spoiler, mas tinha que compartilhar a minha decepção nesse ponto.
 Tia Margarete é uma personalidade fofa demais que nunca vai esquecer do marido falecido. Me senti como sobrinho dela, iria amar ouvir suas vivências românticas no final de tarde. <3
 Hugo e Mickaela são o casal de amigos que Rodrigo fez amizade logo quando chega a Imenso Lar. Eles tem uma imagem fora do padrão normal e isso foi algo que me cativou. Mesmo sofrendo preconceitos de todos os lados continuam juntos alimentando o amor que os nutre. Não tem como não torcer pela felicidade eterna desse casal.
 A capa do livro é linda demais! Imaginei o Rodrigo e o Clér como sendo, de fato, os guris da capa e isso foi algo que gostei mesmo deixando claro o meu posicionamento de que não sou a favor de modelos em capas de livros. As folhas dos livros são amareladas, os capítulos são curtos e o tamanho das letras são grandes, possibilitando uma leitura rápida da obra.
 Tenho que bater palmas para o quanto Pablo Madeira foi cruel em seus últimos capítulos de Clér. Nunca que iria imaginar os acontecimentos que se sucederam. Devorei as páginas não acreditando em nada do que estava acontecendo, só cai na real que tudo aconteceu quando cheguei em Nota do Autor.
 Homofobia é uma realidade que vários gays sofrem. Não são todos, mas uma grande parcela já sofreu, sofrem ou sofreram agressões físicas e verbais pelo simples fato de querer amar livremente. Abordar esse problema que está tão enraizado na população brasileira - e global - é preciso para tentar desconstruir o pensamento das pessoas homofóbicas. Se não tentarmos, o ato de matar gays se tornará comum, o ato de matar humanos se tornará comum.
 Clér é um pequeno manifesto. É um grito de socorro para as pessoas poderem ama e respirar livremente sem receio de sofrer.



LEIA OUTROS POSTS:

10 comentários:

  1. Nossa, certamente é um livro que ia me comover bastante. Se só de ler a resenha já fiquei com pena de Rodrigo.

    Parabéns por mais uma resenha incrível *-*

    http://madminds.weebly.com

    ResponderExcluir
  2. Eu sou extremamente apaixonado por livros que abordam temas sérios mas de forma "leve", sabe? Tipo, parece ser uma leitura extremamente intrigante, mas é triste ver que a maioria dos livros LGBT's terminam em tragédia ou são puramente erótico, haha. De qualquer forma, adorei a resenha (mesmo pelo spoiler, que coisa feia, moço u-u). Abraços, e até mais.

    ResponderExcluir
  3. Realmente esse é um assunto muito sério e difícil até de comentar.
    Acredito que não seja nada fácil ser homossexual...Sofrem preconceito na rua e pior,dentro de casa!
    E quantos Rodrigos existem por aí,tendo que lutar por sua liberdade de escolha?
    Fiquei apreensiva com o final dessa história.

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Ainda não li nenhum livro com esse tema, mas certamente é uma leitura muito boa e com uma mensagem muito séria, devido a esse preconceito horrível que toma conta da cabeça e do coração de muitas pessoas. A capa está muito bonita e sua resenha me incentivou muito a conhecer mais da obra. Com certeza quero ler! Obrigada pela dica. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Gosto de livros que, de alguma forma, combatam preconceitos, conscientizem as pessoas desses preconceitos e façam com que repensem suas atitudes. Os personagens parecem ser cativantes, principalmente Clér e Rodrigo. Eita, parece que o final é ruim, no sentido de partir nossos corações e de nos deixar tristes. Agora tenho medo de ler o final e também estou muito curiosa. Bjus.

    ResponderExcluir
  6. A história parece ser bem construida e já fico imaginando o que de cruel o autor preparou para os momentos finais... É muito importante ter livros, novelas, etc envolvendo alguns temas onde o preconceito impera, talvez assim as pessoas entendam que existe um sofrimento do outro lado.

    atraentemente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro mas gostei muito dessa historia, achei bem interessante os assuntos que o autor trata com essa historia e uma das coisas que gostei foi temos personagens secundários que conquista o leitor, o livro e mesmo pequeno e espero que não fiquei aquela agonia de estar acabando as paginas mas ainda com muita historia para contar e fiquei interessada nesse livro !!

    ResponderExcluir
  8. Nossa o livro pelo visto é muito profundo, que tenso essa historia de o pai não aceitar a sexualidade do filho, e a mãe apanhar calada, fiquei interessada em ler o livro, apesar de que nunca li um livro que tivéssemos homossexuais, creio que o livro vai me agradar.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  9. Oi
    A resenha já me pegou por conta da sua opinião. Quero ler. Tem em e-book?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Oláá Bruno. Primeira vez aqui no seu blog haha. Gostei bastante da premissa, preconceito com gays é algo que não deveria existir atualmente, mas a sociedade atual é tão injusta que me dá agonias. Parabéns para o autor que fez este livro maravilhoso com este tema mais lindo ainda. Adorei sua resenhaaa! Seguindoo!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!