1.12.15

[Resenha] Enigma - Mundo Interdito

Autor (a): Rita Pinheiro
Editora: Baraúna
Ano: 2014
Lido em: novembro de 2015
Nº de Páginas: 298
Onde Comprar: SARAIVA
Livro recebido através de book-tour


 Em MUNDO INTERDITO  somos apresentados ao jovem imaturo Johnny. Ele tem 18 anos e sua vida limita-se a viver na farra. Sim, ele ama uma festa e não pensa no amanhã. Ficando com mulheres como se fossem itens numa lista de compras, ele é uma pessoa que não me cativou. Não seria alguém que desejaria criar amizade.
 Numa das festas feitas em seu apartamento, ele mora só, um amigo seu diz que um conhecido ganhou uma passagem para a Flórida, mas que não pode ir. Isso de imediato despertar a atenção do jovem que faz de tudo para conseguir a passagem, e que consegue!
 Durante a viagem um acidente inacreditável acontece quando o avião passa pelo Triângulo das Bermudas. Johnny consegue escapar (SIM, É ALGO BEM ABSURDO DE SE LER! kkk) e acorda numa praia tendo uma guria como sua salvadora, e para completar o quadro estranho ele está sem memorias.
 Sua salvadora se chama Hera que lhe informar onde se encontra. 
 Johnny está na ilha chamada ENIGMA.
 Conforme prosseguimos na leitura somos apresentados a um mundo surreal. A tecnologia superior em Enigma causa um grande estranhamento, principalmente a roupa dos habitantes. Eu ficaria com imensa vergonha de usar um de seus macacões. Kkk
 Os habitantes chegaram a um ponto de evolução que me assustou e me fez desejar acreditar que a raça humana possa chegar a esse ponto.
 Enquanto Johnny tenta recuperar suas memórias, Hera tenta lhe ingressar ao cotidiano da ilha. Devo confessar que isso foi algo que me incomodou bastante na personagem. Pow, o guri está querendo se lembrar de quem é e quando consegue quer voltar para casa. Ele está pouco se lixando para o que acontece na ilha e definitivamente não quer fazer parte dessa sociedade estranha.
 Com o passar dos capítulos Johnny amadure. Sei que a autora tentou mostrar essa mudança de forma gradativa, mas eu infelizmente não senti muito. Consegui identificar o ponto em que ele mudou de pensamento de uma hora para a outra e isso me incomodou muito. Nem mudando eu consegui me apegar ao personagem.
 A obra é repleta de seres que vemos em contos de fadas e lendas urbanas. Me surpreendi com a presença deles e até gostei de alguns personagens (Leia-se: Atir e Ravena).
 Claro que tem um grande mistério por trás de tudo que se sucedeu ao jovem Johnny e isso nos é revelado ainda nesse volume. Perto do final da obra fica evidente que haverá uma continuação por ter um fato que pode desencadear algo bem sangrento no futuro.
 Algo que gostei bastante do livro foi o fato do personagem ter nacionalidade brasileira e morar aqui no país. Sim, eu curto quando personagens são nacionais.
 Os capítulos são relativamente curtos, as folhas são amareladas e a fonte das letras é num tamanho médio agradável que permite uma leitura fluida. Não recordo de ter encontrado erros gramaticais e isso me deixou feliz.
 É o primeiro livro que leio publicado pela editora Baraúna e gostei bastante do material.
 Obrigado por possibilitar a leitura da sua obra, Rita Pinheiro. Já fico no aguardo da continuação.
 Recomendo a leitura para aqueles que gostam de se surpreender em lugares fora da realidade.


LEIA OUTROS POSTS:

2 comentários:

  1. Adorei sua resenha Bruno!!
    Parabéns!!
    Descreveu melhor que eu...

    E que venha a continuação...vamos cobra-la...rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Eu tenho curiosidade de ler ele, e que legal que teve a chance de participar do book tour,
    parece ser uma história legal, gostei da resenha.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!