13.8.17

[Resenha] Ferrugem

Autor (a): Marcelo Moutinho
Editora: Record
Ano: 2017
Lido em: junho de 2017
Nº de páginas: 384
Onde Comprar: AMAZON
Livro recebido em parceria com o autor


O assunto de Ferrugem é a paisagem humana, os grandes dramas corriqueiros, a vida que passa. Desfilam por aqui personagens ímpares, insuspeitas, inesquecíveis, ainda que aparentemente comuns: a moça soropositiva, caixa de supermercado, que reencontra o antigo namorado; a cobradora de ônibus que dá conselhos amorosos a um passageiro; o cantor de boate que imita Roberto Carlos. O valor literário dos contos de Marcelo Moutinho não está em tramas surpreendentes ou inusitadas, mas na alta-voltagem poética que a voz do narrador consegue extrair de situações vulgares.

FERRUGEM é uma coletânea de contos que retrata o cotidiano do povo brasileiro apresentando de maneira espontânea o dia-a-dia das pessoas. São treze contos curtos e diretos que me despertaram a atenção, que me colocaram para refletir sobre momentos que vivemos e que passam tão rápido sem darmos a devida atenção.
 Não vou mentir dizendo que a obra é um espetáculo, que o autor é um tremendo cronista. Isso seria exagero e soaria falso. Marcelo Coutinho sabe bem como conduzir um enredo, como despertar a atenção para passagens que podem parecer tão insignificantes para um leitor apressado que só bate os olhos e segue em frente.
 Três Apitos considerei o meu conto favorito. Mostra a frieza da ação humana diante de um fato, não romantiza e nem floreia a situação, mostra uma face que é possível de acontecer e que deve ter acontecido com alguém.
 Durante a leitura da obra senti como se cada conto fosse o relato de um leitor que acompanha o que o Coutinho escreve, e só posso dizer que gostei bastante da experiência.
 A cobradora de 362 é sem sombra de dúvida memorável! Senti vontade de exercer essa profissão por um dia e perceber os pequenos detalhes que ela tão prontamente percebe em seu espaço de trabalho.
 Por ter contos curtos, FERRUGEM não trás uma profundidade nos enredos, mostra somente o essencial para entendimento de cada história dando uma leve pitada de quero mais.
 A moral que arranquei para mim é que vivemos vidas tão atarefadas pensando em nossos umbigos que não paramos para observar o outro, escutar um desconhecido, se colocar no lugar dos amigos.
 Com uma escrita leve que reflete a simplicidade das histórias, o livro tem contos com narrativa em primeira pessoa e outras em terceira. A capa da obra é bem subjetiva deixando o leitor escolher a interpretação que bem desejar.
 As páginas são amareladas e as letras são grandes trazendo um grande conforto para a leitura em qualquer ambiente.
 Recomendo a obra para todos que buscam encontrar um ponto nunca antes notado no cotidiano.

LEIA OUTROS POSTS:

16 comentários:

  1. Olá, Bruno. Adorei a resenha e muito mais sua sinceridade, adoro livros de contos e provavelmente daria uma chance para ele algum dia. Fiquei interessada por conhecer a cobradora, imagino que elas devem ser bem observadoras mesmo. E o importante é a mensagem que cada leitura deixa em nossos corações, fico feliz que tenha sido uma mensagem positiva e que te fez refletir.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Oiê!
    Esse livro parece muito bom! Ainda não tinha visto ninguém falar a respeito dele e a obra me ganhou com esse comentário seu: " que vivemos vidas tão atarefadas pensando em nossos umbigos que não paramos para observar o outro, escutar um desconhecido, se colocar no lugar dos amigos." Adoro enredos que nos façam sair de nossas zonas de conforto e nos mostrem que precisamos evoluir e ser melhores e ajudar os outros a melhorar também, perceber e entender o mundo ao nosso redor, enfim, com certeza, esse livro entrou na minha lista. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  3. Olá. não conhecia o livro e o gênero me atrai, bem como os temas que norteiam a obra, sobre o autor ser ou não grande contista, não saberia opinar, não li nada dele. mas gostei da resenha e da indicação.

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruno, eu não conhecia a obra e nem o autor, vi-me encantada, gosto de temas que envolvam a realidade, o nosso cotidiano e o que está a nossa volta, dica anotada.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Olá Bruno!
    Adorei sua resenha e sua sinceridade ao comentar sobre a mesma. Acho que o simples também pode ser bem interessante e mesmo não curtindo muito a leitura de poesias, crônicas e poemas, gosto de saber o nível em que os autores tem trazido nelas.
    Acho que nada mais inspirador do que trazer a realidade do dia a dia para os textos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruno, estes contos que relatam nosso dia a dia são para mim os melhores. Não conhecia o livro, e vou anotar sua dica.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  7. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro ainda mas ainda bem que gosatste de fazer a leitura! :) Não sou grande fa de contos mas ate fiquei curioso!

    Especialmente quando se trata de uma escrita tao leve e que leva a refletir sobre as historias!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  8. Oi! Parece uma ótima leitura! Adoro ler contos, e os temas que norteiam a obra são de critério importante para refletir sobre o mundo a nossa volta. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruno, tudo bem?
    Eu amo ler contos, principalmente esses que nos levam a refletir sobre a natureza humana e fatos do cotidiano. Gostei muito da dica e da opinião sincera sobre o livro, vou deixar a dica anotada e espero ter a oportunidade de lê-lo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Bruno, gostei de conhecer a obra, vejo que ultimamente estão sendo lançados muitos livros de contos e gostei do fato de vc ter sido sincero em sua resenha. Gostaria de saber mais sobre o autor. Bjs

    ResponderExcluir
  11. Adoro conhecer novos autores nacionais.
    Obrigada pela dica.
    Adorei a sua resenha, e fiquei bastante interessada em ler os contos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Amo contos, e gosto muito quando o autor aborda o cotidiano e assim consegue trazer vários aspectos da sociedade e do ser em geral. Adorei a capa. E fiquei bem curiosa. Ótima resenha. :)

    ResponderExcluir
  13. Não sou fã de contos e não me interessei pela obra... Dificilmente consigo me envolver com contos exatamente por causa dessa falta de profundidade, profundidade é algo que acho essencial, por isso não consegui me adaptar ao gênero. Mas achei muito legal isso do livro ajudar a notar coisas novas no cotidiano.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Bruno, tudo bem? Sabe, a capa me cativou e o fato de ser contos curtos me interessou. Acho estranho como as pessoas têm vidas corridas, mas não gostam de textos curtos, sendo que seria o condizente com suas rotinas. Mas eu entendo, porque também gosto de leituras densas - mas não descarto leituras rápidas, são ótimas para se ler no ônibus, em viagens curtas e salas de espera. Sobre o conteúdo do livro, com certeza, leria, porque me pareceu maduro e intrigante. Suas fotos, como sempre, lindíssimas.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Olá tudo bom?
    Eu nunca tinha vista falar nesse livro ai,me interessei bastante pelo o conteúdo sabe
    Onde posso encontar?

    ResponderExcluir
  16. Olá tudo bom?
    Eu nunca tinha vista falar nesse livro ai,me interessei bastante pelo o conteúdo sabe
    Onde posso encontar?

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!